SACImprensaMapa do Portal A+ R A-
Página Inicial » Cultivares de Café

APOATÃ IAC 2258

E-mail Imprimir PDF

 Origem

É oriunda da introdução de sementes da planta matriz 2258 do CATIE em Turrialba, Costa Rica em 1974, e de seleções de cafeeiros resistentes a vários nematóides, por técnicos do IAC em áreas infestadas. Dentre o germoplasma de Coffea canephora, a introdução IAC 2258, proveniente da coleção de Turrialba, Costa Rica, vem se mostrando como altamente resistente a Meloidogyne exigua e resistente e ou tolerante a várias populações de M. incognita e M. paranaensis. Um experimento localizado em Votuporanga, SP, em área com M. incognita, mostrou que as plantas de Mundo Novo e Catuaí Vermelho enxertadas sobre IAC 2258 cresceram normalmente e apresentaram boas produções iniciais em relação aos cafeeiros dessas cultivares não-enxertados. Outros experimentos vêm comprovando esses resultados. A progênie IAC 2258 vem sendo submetida à seleção de plantas resistentes em condições artificiais de casa de vegetação ou viveiro e em áreas infestadas por M. incognita e M. paranaensis, com eliminação das plantas suscetíveis. A freqüência de plantas resistentes em relação a M. incognita da população original de IAC 2258 era de, aproximadamente, 70%. Com esse tipo de seleção de população original de IAC 2258, tem-se conseguido aumentar significativamente a freqüência de plantas resistentes e ou tolerantes (Figura 6). A essa população de C. canephora de seleção mais avançada com grande quantidade de plantas resistentes a M. incognita e imunes a M. exigua atribuiu-se, em 1987, a denominação Apoatã IAC 2258. Em tupi guarani, a palavra apoatã significa "raiz forte".

 

Características

Os cafeeiros do porta-enxerto Apoatã IAC 2258 caracterizam-se por serem multicaules, muito vigorosos e possuírem exuberante sistema radicular. Apresentam elevada resistência ao agente causal da ferrugem e resistência aos nematóides Meloidogyne exigua, M. incógnita e M.

paranaensis. Em experimentos, em Rondônia, a altura média do café Apoatã, com 10 anos, foi de 3,0m e o diâmetro médio da copa de 2,0m. Os florescimentos principais ocorrem de setembro a outubro, podendo ocorrer outros menos intensos esporadicamente, dependendo das condições climáticas. O amadurecimento dos frutos se estende de junho a agosto, tratando-se, portanto, de cultivar de maturação tardia. O pericarpo é pouco espesso e a relação entre o peso de café maduro (cereja) e o de beneficiado é, em média, de 5,0. O rendimento, em porcentagem (relação entre o café beneficiado e o café seco) é de, aproximadamente, 60%. O peso médio de 1.000 sementes do tipo chato é de 141 g. O valor da peneira média é de 16,7 (16,0-18,0). A porcentagem de sementes do tipo chato é, em média, de 89,5%. O teor de sólidos solúveis na bebida é da ordem de 31,2% e o de cafeína nas sementes de 1,7%.

 Apoata_IAC_2258

Ficha Técnica

Porte (altura de planta)

Alto

Copa

Multicaule

Diâmetro da copa

Médio

Comprimento do internódio

Longo

Ramificação secundária

Baixa

Cor das folhas jovens (brotos)

Bronze

Tamanho da folha

Grande

Cor do fruto maduro

Vermelha

Formato do fruto

Variável

Tamanho da semente

Grande

Formato da semente

Longo e largo

Ciclo de maturação

Tardio

Ondulação da borda da folha

Pouco ondulada

Resistência à ferrugem

Moderadamente resistente

Resistência a nematóide

Altamente resistente à Meloidogyne exígua, resistente e

Vigor

ou tolerante a M. incognita e M. paranaensis

Qualidade da bebida

Alto

Produtividade

Maiores teores de sólidos solúveis e de cafeína que

Recomendações de plantio

O porta enxerto Apoatã IAC 2258 está sendo utilizado como porta-enxerto para qualquer uma das cultivares de café tipo arábica recomendadas. Antes de efetuar o plantio são fundamentais algumas medidas agronômicas em relação ao preparo da área de plantio das mudas enxertadas. A seguir, são relacionadas as principais medidas: 

- verificar quais espécies e ou raças de nematóides estão presentes e quantificar sua população na área a ser implantada a lavoura. Devem ser examinados raízes e solo; - caso se constate a presença de nematóides, utilizar métodos para diminuir sua população, (como, por exemplo) plantio de mucuna-preta, crotalária e mucuna-anã e incorporação da massa verde obtida, bem como aração e gradagem; 

- concomitantemente, utilizar métodos para a recuperação do solo, do ponto de vista físico, químico e biológico: subsolagem, aração, gradagem, para controle de nematóides e outras pragas de solo e raízes, correção do solo (calagem etc.) plantio de mucuna preta e sua incorporação e plantio de culturas anuais por um ou dois anos (tolerantes ou resistentes aos nematóides presentes na área); 

- plantar cultivares de café indicadas para a região enxertadas no porta-enxerto Apoatã IAC 2258 nos solos já recuperados; 

- utilizar mudas sadias. Dessa maneira, a utilização de mudas em tubetes é obrigatória nas regiões onde se tem conhecimento da presença de nematóides (Alta Paulista, Noroeste e Araraquarense, em São Paulo); 

- utilizar o plantio adensado na linha (0,5 a 0,8 m entre plantas) para uma muda na cova e de acordo com a cultivar indicada, principalmente nas regiões mais quentes. Em determinados casos, pode-se utilizar a distância de 1,2 rn com duas plantas na cova;

- nas entrelinhas, utilizar 2 a 4 m de distância, conforme a cultivar indicada e as máquinas a serem utilizadas nas operações agronômicas; 

- nessas áreas com nematóides, usar, preferencialmente, o plantio adensado (4.000 a 8.000 plantas/ha) ou superadensado (8.000 a 12.000 plantas/ ha); 

- em lavouras já formadas e com nematóides, utilizar mucuna-anã no meio da linha e incorporar a massa verde obtida, antes de florescer. Usar também palha de café e farelo de mamona, que têm efeitos nematicida; 

- usar arborização em áreas mais quentes, plantando grevilha nos espaçamentos 16 x 16 m a 20 x 20 m.

 

É interessante ressaltar que cafeeiros enxertados poderão também ser plantados em área isentas de nematóides, com ganho significativo de produtividade e outras características agronômicas e fisiológicas em relação às mesmas cultivares não-enxertadas. Atualmente existem seleções clonais de Apoatã (IAC 3597, IAC 3599 e IAC 3600), resistentes a nematóides que poderão ser plantadas sem enxertia, visando à produção de café robusta em áreas com nematóides.