SACImprensaMapa do Portal A+ R A-
Página Inicial » Observatório » Notícias e Análises » Rondônia incentiva adoção de tecnologias do Consórcio Pesquisa Café

Rondônia incentiva adoção de tecnologias do Consórcio Pesquisa Café

E-mail Imprimir

Na cidade de Ouro Preto do Oeste-RO, serão realizados treinamento e dia de campo para promover melhoria da produção de café no Estado

A procura por cafés de qualidade tem aumentado gradativamente no mercado mundial, estimulando cada vez mais a pesquisa científica a desenvolver tecnologias que melhorem a qualidade na cafeicultura. Para que o café produzido atenda a essa crescente demanda qualitativa, é necessário adoção de boas práticas agrícolas e de recomendações técnicas de colheita e pós-colheita. O Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café, tem feito grande esforço de transferência de tecnologias com a promoção de eventos de capacitação técnica para incentivar produtores a melhorar sua produção e investir na modernização de infraestrutura e equipamentos.

Uma dessas ações é o “Treinamento de colheita e pós-colheita do café em Rondônia”, a ser realizado pela Embrapa Café e a Embrapa Rondônia em parceria com o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural – Incaper, a Universidade Federal de Viçosa - UFV e a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais - Epamig. O evento acontecerá no período de 28 a 30 de maio, das 7h30 às 17h30, no Campo Experimental de Ouro Preto do Oeste da Embrapa Rondônia.  O objetivo é capacitar técnicos, extensionistas e lideranças rurais na construção e operação de tecnologias pós-colheita e colheita do café, além de orientar a adoção de boas práticas agrícolas e de gestão.

Temas e programação - Entre os temas a serem abordados estão Produção Integrada do Café; desafios e perspectivas da cafeicultura no estado; qualidade do café; classificação do café; tecnologia de colheita e pós-colheita; mercado do café robusta; despolpamento e secagem; construção do silo secador; e terreiro secador com cobertura móvel.

No primeiro dia de treinamento – parte teórica - serão abordados os seguintes temas: “Desafios e perspectivas da cafeicultura no Estado (por Leandro Dias, da Cooperativa de Produtores Rurais Organizados para Ajuda Mútua – Coocaram), “Qualidade e classificação do café” (por Enrique Alves, da Embrapa Rondônia e Benedito Alves, da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural - Emater), bem como o “Mercado do café canéfora” (por Arhtur Fiorott, da Conilon Brasil). Ainda neste dia, os inscritos participarão de palestras sobre “Tecnologias de colheita e pós-colheita” (por Sérgio Donzeles, da Epamig) e “Produção Integrada do Café” (por Júlio César F. Santos, pesquisador da Embrapa Café lotado no Laboratório Nacional Agropecuário – Lanagro (BH), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - Mapa).

No segundo dia, haverá a parte prática. Serão ministradas “Práticas de despolpamento e secagem”, “Construção do silo secador” (por Sérgio Donzeles, da Epamig) e “Terreiro secador de tipo cobertura móvel” (por Enrique Alves, da Embrapa Rondônia). 

Finalizando o treinamento, os participantes contarão ainda, no terceiro dia, com seis estações que serão conduzidas por pesquisadores da Embrapa Rondônia e demais parceiros, como a UFV, a Epamig e a Conilon Brasil. Confira os detalhes de cada estação:

Estação 1 – Conilon BRS Ouro Preto: Primeira cultivar de café desenvolvida pela Embrapa e é recomendada para Rondônia. É adaptada ao clima e ao solo da região.  No Dia de Campo, serão demonstradas as características agronômicas dos quinze clones que compõem a cultivar.

Estação 2 – Condução da Lavoura: Serão demonstradas em campo as técnicas de poda e condução da lavoura, visando o sistema preconizado como poda programada do conilon.  Além disso, será discutido o manejo da poda como ferramenta que permitirá a colheita do café de forma semimecanizada.

Estação 3 – Colheita: Serão abordadas temas como ponto ideal de colheita, tempo entre colheita e processamento dos frutos e o seu efeito na qualidade de bebida. Também será realizada demonstração de máquinas de colheita semimecanizada.

Estação 4 – Despolpamento: Será demonstrado o processo com os equipamentos e seu funcionamento, bem como os benefícios dessa tecnologia na redução do tempo e custo de secagem e qualidade da bebida do café.

Estação 5 – Secagem: Será apresentada a estrutura mínima necessária para a produção de café de qualidade e as boas práticas desse processo. Também serão apresentadas as diferentes alternativas de tecnologias que podem ser utilizadas pelo pequeno cafeicultor.

Estação 6 – Mercado para conilon de qualidade: Perspectivas de novos mercados emergentes para o café conilon, suas implicações e como isso afetará a realidade do produtor. Também serão abordados aspectos relevantes e políticas públicas que possam inserir Rondônia nesse novo contexto econômico e social.

Um dos destaques do evento será a demonstração de máquinas para a colheita semimecanizada do café canephora (conilon) que vêm sendo testadas pela Embrapa Rondônia em parceria com o setor privado. “Um dos principais gargalos enfrentados pelos cafeicultores do estado é a falta de mão-de-obra, que limita o desenvolvimento da produção, tanto em quantidade como em qualidade. E, com o intuito de minimizar esse problema, estamos avaliando o desempenho e a viabilidade da colheita semiecanizada do café canephora em Rondônia”, explica o pesquisador Enrique Alves.

Cafeicultura em Rondônia – O segundo levantamento da Conab (maio/2014) indica que a safra a colher em 2014 (1.624.968 sacas) é 19,75% superior à colhida em 2013 (1.357.020 sacas), enquanto que a produtividade crescerá 24,17% (13,2 sacas/ha em 2013 e 16,39 sacas/ha em 2014). Tais incrementos se devem a mais investimentos em tratos culturais, utilização de materiais clonais e condições climáticas favoráveis por ocasião das floradas e enchimento dos grãos. Segundo o IBGE (Censo Agropecuário 2006), mais de 90% dos estabelecimentos que produzem café, no estado, são de agricultura familiar. Rondônia é o sexto maior produtor de café no Brasil e ocupa o segundo lugar no cultivo de café conilon, o que coloca a cafeicultura da região como atividade de grande importância na economia do estado.

 

Para saber mais sobre a Embrapa Café e o Consórcio Pesquisa Café acesse:

http://www.consorciopesquisacafe.com.br/

http://www.sapc.embrapa.br/

 

Gerência de Transferência de Tecnologia

Texto: Clarissa Ratton – MTb 9673/DF, Flávia Bessa – MTb 4469/DF e Renata Silva - MTb 12361/MG

Fone: (61) 3448-1927/

Site: www.embrapa.br/cafe www.consorciopesquisacafe.com.br