SACImprensaMapa do Portal A+ R A-
Página Inicial » Observatório » Notícias e Análises » Bureau de Inteligência Competitiva do Café analisa e divulga sistematicamente a situação do setor cafeeiro em nível mundial

Bureau de Inteligência Competitiva do Café analisa e divulga sistematicamente a situação do setor cafeeiro em nível mundial

E-mail Imprimir

bereau5_2Os estudos do Bureau estão contemplados em um projeto do Consórcio Pesquisa Café coordenado pela Embrapa Café e visam monitorar, analisar e difundir informações e indicadores relevantes para a cafeicultura brasileira

O Bureau de Inteligência Competitiva do Café, da Universidade Federal de Lavras – UFLA, em seu Relatório Internacional de Tendências do Café (vol.5 n°2), analisa, entre vários outros temas relevantes da cafeicultura em nível mundial, a competitividade do café robusta (Coffea canephora) brasileiro em função das oscilações da taxa de câmbio do dólar americano no ano de 2015. Segundo o Bureau, com a forte desvalorização do Real ocorrida nesse ano, os preços do café robusta pagos aos produtores brasileiros aumentaram, assim como suas exportações, que foram de 4,2 milhões de sacas de 60kg, ou seja, um incremento de 21% em relação a 2014.

O Bureau atribui esses acréscimos à maior competitividade do café robusta do Brasil em relação ao mesmo café do Vietnã. Com base nos dados constantes do Informe Estatístico do Café – fevereiro/2016 do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – Mapa, é possível constatar de fato que as exportações do Vietnã tiveram redução de 4,8 milhões de sacas de 60kg em 2015, se comparadas às exportações de 2014, as quais foram de aproximadamente 25 milhões de sacas de 60kg.

A edição do Relatório Internacional de Tendências do Café aponta que a cotação internacional do café robusta teve queda em 2015. Segundo o Bureau, mencionando o The Wall Street Journal (WSJ), em análise sobre a distorção causada pela valorização do dólar nos preços pagos aos cafeicultores do Brasil e do Vietnã. "Os dois países vivem situações opostas nos seus respectivos mercados internos. A moeda vietnamita, o Dong, é indexada pelo dólar, ou seja, sua cotação acompanha a da moeda norte-americana. Já o Real é uma moeda de câmbio livre, cuja cotação é determinada pelo mercado. Ao longo de 2015 a cotação internacional do café apresentou tendência de queda, com retração de 29%. Com o Dong atrelado ao dólar, o preço pago aos cafeicultores no país caiu 27%. Isso fez com que as exportações em 2015 fossem 20% inferiores às do ano anterior, mesmo com uma colheita grande. Com isso, os produtores decidiram estocar os grãos à espera de preços melhores, mas quando esse estoque for comercializado os preços poderão sofrer pressão baixista. Para os cafeicultores vietnamitas, a queda no preço é desestímulo ao cultivo de café e muitos já começam a buscar alternativas mais rentáveis, como a pimenta", ressalta o Relatório.

O Bureau também relata o crescimento notável do consumo de café em cápsulas no Brasil e, mais que isso, o seu potencial de aumento contínuo. Como os brasileiros em geral têm preferência pelo consumo de café no lar, esse aspecto os torna clientes potenciais de café em cápsulas. Essa análise corrobora com a pesquisa Tendências do Mercado de Café, encomendada pela Associação Brasileira da Indústria de Café – ABIC, que estima que a receita desse segmento de cápsulas no País deverá triplicar até 2019, atingindo R$ 3,0 Bilhões, ou seja, equivalente ao triplo da receita obtida em 2014. O Bureau aponta a estratégia comercial exitosa de uma torrefadora de São Paulo que está em plena expansão da produção de novas opções de café em cápsulas, associada ao seu projeto de reciclagem dessas embalagens depois de usadas, visando à sustentabilidade ambiental.

O Relatório Internacional de Tendências do Café, do Bureau de Inteligência Competitiva do Café, nesta edição (vol.5 n°2), traz também análises relacionadas a países produtores de café da África, como a Uganda, Quênia, Etiópia e Tanzânia;  e, especificamente na Ásia, destaca a atuação de empresas e instituições na Indonésia para melhorar as condições de vida e renda dos produtores. Nesse contexto, reporta estratégias adotadas por grandes empresas que atuam no setor cafeeiro visando expandir seus mercados em nível mundial. Por último, é de se destacar que essa edição do Relatório analisa cenários e tendências em nível global, com foco na produção, indústria e cafeterias, entre outros temas relevantes da cafeicultura, que valem a pena ser conferidos.

Relatório Internacional de Tendências do Café – Produzido na UFLA, uma das dez instituições fundadoras do Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café e faz parte do projeto do Consórcio denominado "Criação e Difusão de Inteligência Competitiva para Cafeicultura Brasileira". O projeto é financiado pelo Fundo de Defesa da Economia Cafeeira – Funcafé, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – Mapa, e tem o objetivo de monitorar, analisar e difundir informações e indicadores relevantes para a competitividade da cafeicultura brasileira, bem como propor soluções estratégicas para os problemas enfrentados pelo setor.

Observatório do Café – Divulga sistematicamente as análises do Bureau de Inteligência Competitiva do Café, assim como o Relatório sobre o mercado de café, da Organização Internacional do Café – OIC,  publicações das instituições integrantes e parceiras do Consórcio contendo dados, análises e informações, tais como: Informe Estatístico do Café  e Valor Bruto da Produção, do Mapa; Resumos das exportações brasileiras de café, do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil – CeCafé; portfólio de tecnologias desenvolvidas pelo Consórciopublicações sobre tecnologias; Revista Coffee Science; dados completos sobre Safras e Estoques, da Conab; pesquisa sobre Consumo e TendênciasEstatísticas, Cotações e AnálisesClipping mensal de notícias veiculadas na mídiaImagensVídeos e ÁudiosRede Social do CaféRelatórios de Atividades da Embrapa Café e do Funcafé; e o link de acesso Sistema Brasileiro de Informação do Café – SBICafé, entre outros.


Para saber mais sobre o Consórcio Pesquisa Café, a Embrapa Café, a UFLA, o Bureau de Inteligência Competitiva do Café e o Observatório do Café, acesse:

http://www.consorciopesquisacafe.com.br/

https://www.embrapa.br/cafe

http://www.ufla.br/

http://www.icafebr.com.br/

http://www.consorciopesquisacafe.com.br/index.php/consorcio/separador2/observatorio-do-cafe


Gerência de Transferência de Tecnologia da Embrapa Café

Texto: Jamilsen Santos MTb 11015/DF, Lucas Tadeu Ferreira - MTb 3032/DF.

ContatosEste endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.  / 61 3448-4010