SACImprensaMapa do Portal A+ R A-
Página Inicial » Observatório » Notícias e Análises » Diretoria Executiva da Embrapa reconduz por mais três anos o gerente geral da Embrapa Café

Diretoria Executiva da Embrapa reconduz por mais três anos o gerente geral da Embrapa Café

E-mail Imprimir

Criada em 1999, a Embrapa Café coordena o Consórcio Pesquisa Café e realiza PD&I e transferência de tecnologia, em consonância com as diretrizes emanadas do Conselho Deliberativo da Política do Café – CDPC, do Ministério da Agricultura

A Diretoria Executiva da Embrapa publicou, no dia 30 de junho, a recondução, por mais três anos, do pesquisador Gabriel Bartholo à função de Gerente Geral da Embrapa Café. Bartholo ocupou a gerência geral da Unidade de 2004 a 2008, retornando ao cargo desde 2012, quando foi eleito após rigorosa avaliação acadêmica e gerencial. Nesses três anos de nova gestão, valores como foco em PD&I e governança, arranjos institucionais, sintonia com clientes, gestão participativa e descentralizada, aprimoramento de processos e visão de futuro estiveram presentes em todos os processos da sua gestão. "Nesse sistema, as principais características da boa governança são participação, transparência, responsabilidade, orientação por consenso, igualdade, efetividade e eficiência e prestação de contas", diz.

Bartholo explica que, em sintonia com os desafios do agronegócio café brasileiro, o processo de governança do Consórcio segue também as diretrizes emanadas do Conselho Diretor do Consórcio, composto pelos dirigentes das dez entidades fundadoras, que é presidido pela Embrapa. Cabe à Embrapa Café coordenar o Consórcio Pesquisa Café e promover a integração das instituições partícipes com base nas diretrizes do Conselho Diretor e do Conselho Deliberativo da Política do Café – CDPC, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. E, ao CDPC, analisar e aprovar a execução dos projetos de pesquisa homologados pelo Conselho Diretor e alocar os recursos do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira – Funcafé para o financiamento dos projetos de pesquisa.

A Embrapa Café, por sua vez, tem por missão gerir a execução do Programa Pesquisa Café do Consórcio e viabilizar soluções tecnológicas inovadoras para o desenvolvimento sustentável do agronegócio café brasileiro e o fortalecimento do Consórcio Pesquisa Café. Para isso, formula, propõe, coordena e orienta a estratégia e as ações de geração, desenvolvimento e transferência de tecnologia de café, bem como promove e apoia atividades de pesquisa e desenvolvimento e inovação a serem desenvolvidas por instituições participantes do Consórcio Pesquisa Café, entre elas Unidades Descentralizadas da Embrapa e instituições integrantes do Sistema Nacional de Pesquisa Agropecuária –SNPA. Desde a criação desse arranjo institucional, em 1997, a Embrapa Café já coordenou a execução de mais de mil planos de ação de projetos desenvolvidos pelas consorciadas ao viabilizar a integração de instituições de pesquisa, ensino e extensão rural para geração e transferência de tecnologias. No âmbito do Consórcio, há, atualmente, 130 projetos de pesquisa e 623 planos de ação, que envolvem mais de 800 pesquisadores, professores e técnicos.

Novos rumos – Para a gestão 2015-2017, o gerente geral Gabriel Bartholo pretende dar continuidade às pesquisas do Consórcio Pesquisa Café consideradas prioritárias para solucionar os desafios apontados pelos atuais cenários da cafeicultura brasileira e mundial. Entre os temas prioritários, estão: segurança biológica – monitoramento de contaminantes, pragas e doenças quarentenárias não existentes no País; novas modalidades de consumo e de produtos à base de café; novos equipamentos; gestão e manejo da água e mitigação dos efeitos das mudanças climáticas. "O mundo exige novas demandas de pesquisa, não só que incrementem a capacidade produtiva com sustentabilidade e economia, mas também que incorporem características de interesse agronômico visando à melhoria da qualidade e aumento do valor agregado e garantam a competitividade do negócio. Devemos continuar investindo em pesquisas de melhoramento genético, biologia molecular, desenvolvimento de práticas de manejo para adaptação de sistemas produtivos e mitigação dos impactos previstos nos cenários de mudanças climáticas, além de produção e industrialização de cafés diversificados em atendimento às crescentes exigências de mercado. Além disso, as ações de transferência de tecnologia voltadas para manejo da cultura e gestão da propriedade, estímulo ao uso de boas práticas agrícolas com a implantação de sistema de produção sustentável focado na responsabilidade socioambiental, bem como prospecções de novos cenários no País e no exterior, serão preservadas e intensificadas", adianta.

Sobre a política de PD&I, o caminho a ser prosseguido pela Embrapa Café, segundo Bartholo, será o de fortalecimento da interação e parcerias com outras instituições públicas e privadas no Brasil e no exterior. Para incrementar parcerias interinstitucionais e internacionais, será mantida a estratégia de interação intensiva do Consórcio com as entidades integrantes do CDPC, do Mapa, e com unidades da Embrapa, Sistema Nacional de Pesquisa Agropecuária - SNPA, instituições nacionais e internacionais de ensino e pesquisa, agentes de fomento à pesquisa, instituições de assistência técnica e extensão rural, fundações, entidades representantes de produtores e de trabalhadores rurais.

Destaques em PD&I e TT da gestão 2012-2014 - Desde a criação do Consórcio Pesquisa Café, em 1997, centenas de tecnologias, processos e serviços foram desenvolvidos. De 2012 a 2014, destacam-se como novidade o genoma completo do Coffea canephora, a descoberta proteína de café com efeito similar ao da morfina, o polímero hidroretentor (tecnologia adaptada para economia de água e sustentabilidade da cafeicultura), a fornalha a lenha para secagem de café e grãos. Nesse período, também foram lançadas novas cultivares de café resistentes a nematoides, ferrugem e bicho-mineiro. Do café conilon são as cultivares BRS Ouro Preto, Diamante Incaper 8112, Jequitibá Incaper 8122 e Centenária ES8132; e, de café arábica, Asabranca, Siriema AS 1, Beija Flor e Aranãs.

Entre os avanços obtidos no âmbito do Consórcio, estão a ampliação do conhecimento sobre o estresse hídrico controlado; manejo da adubação; cultivares resistentes a nematoides, ferrugem e bicho-mineiro; utilização da braquiária como planta de cobertura nas entrelinhas das lavouras; manejo da poda e colheita – manual, semimecanizada e mecanizada – e estudos sobre consumo de café e seus efeitos na saúde humana. Além disso, no triênio 2012 – 2014, a Unidade coordenou, no âmbito do Consórcio, projetos e planos de ação nos seguintes focos temáticos: agregação de qualidade ao café; agroclimatologia e fisiologia; aperfeiçoamento dos processos industriais e novos produtos à base de café; aprimoramento dos sistemas de cultivo; benefícios do café à saúde humana; desenvolvimento econômico e social das regiões produtoras de café; genética, melhoramento e biotecnologia; manejo de pragas e doenças dos cafeeiros; mecanização do cultivo e da colheita do café em áreas planas e de montanhas; melhoria dos processos de colheita e pós-colheita; transferência de tecnologia e comunicação; e uso racional de água na cafeicultura.

No campo da transferência de tecnologia, três convênios impactaram muito positivamente o processo: o estabelecido entre a Embrapa Café e a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais – Emater-MG, o assinado pela Embrapa Café e o Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural – EMATER-PR e ainda o convênio da Embrapa Café com o Instituto Agronômico do Paraná – IAPAR, entre outras ações de transferência de tecnologia, com as previstas nos projetos "Avaliação de impactos sociais, econômicos e ambientais de inovações tecnológicas difundidas e desenvolvidas com apoio do Consórcio Pesquisa Café" e "Transferência de tecnologias para a melhoria da qualidade do café produzido pela agricultura familiar".

Gestão da informação – Uma inovação foi a criação, em 2014, do Observatório do Café, que tem como objetivo produzir e difundir conhecimentos e informações qualificadas em apoio à formulação de estratégias de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação – PD&I e à tomada de decisão no âmbito do Consórcio Pesquisa Café. A iniciativa está relacionada ao Sistema de Inteligência Estratégica da Embrapa, o Agropensa, que atua no mapeamento e apoio à organização, integração e disseminação de base de dados e de informações agropecuárias em apoio à formulação de estratégias de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) para a própria Empresa e instituições parceiras, por meio do monitoramento e a prospecção de tendências sobre o setor agropecuário no Brasil e no exterior.

Para Gabriel Bartholo, o Observatório do Café é uma ferramenta de inteligência estratégica para os agentes do agronegócio café obterem informações atualizadas sobre os avanços e tendências do setor, além de ser um repositório de informações sobre a cafeicultura para subsidiar agentes públicos e privados na formulação de políticas para a cafeicultura e na tomada de decisão para o setor. "É realizada coleta, análise e disseminação de forma sistemática de dados estatísticos, informações sobre tendências de produção e consumo, oportunidades e ameaças dos mercados e possíveis trajetórias do processo de inovação, além de resultados de pesquisas realizadas pelo Consórcio Pesquisa Café e suas implicações para a competitividade do agronegócio cafeeiro".

No Observatório do Café estão disponíveis, entre outros, as seguintes publicações, documentos e análises das instituições integrantes e parceiras do Consórcio Pesquisa Café: Informe Estatístico do Café; exportações brasileiras de café; Revista Coffee ScienceLevantamento de Safra de Café, Relatório de Atividades da Embrapa Café - 2012 a 2015Publicações Técnicas (com informações sobre tecnologias desenvolvidas pelas instituições consorciadas); imagens e vídeos sobre cafeiculturaInforme Estatístico do Café; Valor Bruto da ProduçãoRelatório Internacional de Tendências do CaféRede Social do CaféClipping do Café do ConsórcioSAC – Consórcio Pesquisa Café; Relatório Final de Levantamento de Estoques Privados de CaféEvolução do Consumo InternoTendências de Consumo de Café no BrasilRelatório sobre Mercado de CaféInforme Estatístico do Café, Relatórios de Atividades da Embrapa Café e Sistema de Informação do Café disponível – SBICafé, entre outros.

Simpósios de Pesquisa - Em 2013, sob a coordenação dos atuais gestores da Embrapa Café, foi realizado o VIII Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil, realizado em Salvador (BA), no período de 25 a 28 de novembro, que contou com 550 participantes. O VIII Simpósio teve como tema central "Pesquisa cafeeira - sustentabilidade e inclusão social", no qual foram apresentados 306 trabalhos técnico-científicos. Contou com três palestras principais, oito minicursos, quatro oficinas de trabalho e quatro mesas-redondas sobre assuntos variados relacionados à cultura do café, como avanços e desafios do Consórcio Pesquisa Café, tecnologias aplicadas à sustentabilidade da cafeicultura, certificação, Identificação Geográfica, avaliação da sustentabilidade na propriedade rural, manejo e conservação do solo e da água para a cafeicultura, avanços na nutrição, melhoria da qualidade e agregação de valor do café arábica e conilon, mecanização, sistemas agroflorestais e orgânicos e manejo fitossanitário do cafeeiro, noções sobre classificação e degustação de café, estado da arte da cafeicultura familiar no Brasil, cultivares de café, entre outros.

Em junho de 2015, foi realizado o IX Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil, em Curitiba-PR, com o tema "Consórcio Pesquisa Café – Oportunidades e Novos Desafios". Avanços da pesquisa cafeeira, mercado, tendências e oportunidades e desafios para a cafeicultura nacional no País e no mundo foram assuntos discutidos nessa edição do evento que reuniu mais de 500 participantes, de 14 estados brasileiros e dos países Porto Rico e EUA. No total foram realizadas 22 palestras divididas em oito painéis temáticos, além de apresentações de pôsteres com divulgação de recentes pesquisas desenvolvidas pelas instituições que integram o Consórcio Pesquisa Café. A nova edição trouxe pela primeira vez palestrantes cafeicultores. "São os produtores rurais que validam as tecnologias geradas pela pesquisa, além de prospectarem novos estudos", justifica Bartholo.

Currículo resumido - Bartholo é engenheiro agrônomo graduado pela Universidade Federal de Lavras (1972), possui mestrado em Fitotecnia com concentração em Melhoramento Vegetal pela Universidade Federal de Viçosa (1978) e doutorado em Agronomia (Genética e Melhoramento de Plantas) pela Universidade Federal de Lavras (2000). É pesquisador na cultura do café, com estudos concentrados na área de melhoramento genético do cafeeiro/fitotecnia. Trabalhou 31 anos na Epamig, tendo ocupado praticamente todos os cargos de gestão da Empresa, inclusive o de presidente entre 1993 e 1995. Foi gerente geral da Embrapa Café de 2004 a 2008. Sua produção técnico-científica, bem como a lista de prêmios e distinções recebidas é extensa.

 

Gerência de Transferência de Tecnologia

Texto: Flavia Bessa - MTb 4469/DF

Contatos: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. / 61 3448-1927